POLPA MOLDADA

POLPA MOLDADA
Polpa Moldada

terça-feira, 15 de março de 2016

Três dicas para tornar o artesanato sustentável em 2016

Sua criatividade em reaproveitar peças pode contribuir com seu negócio e com o ambiente

sempre_moderno_tecnicas_patchwork_eduK_padovan-50MEU ATELIÊ

1. Procure locais de troca ou escambo de materiais



Tantos tecidos acumulados com potencial para se tornarem peças lindas! (reprodução do site: theoldpaintedcottage)
Tantos tecidos acumulados com potencial para se tornarem peças lindas!

Em todo Brasil, há grupos do facebook, eventos, cooperativas de artesanato ou inclusive locais reservados para escambo e troca de materiais.
A ideia é justamente não efetuar vendas de materiais, mas trocá-los por peças que você precise e não tenha, num acordo entre as partes. O verdadeiro ganha-ganha. Se você não encontrar um perto de você, que tal organizá-los? Veja o caso do Escambo de materiais para artesanato, que vai acontecer em São Paulo no próximo dia 31/01 no parque da Água Branca, e inspire-se!
Procure pessoas com interesse em trocar materiais e comece seus eventos de troca agora mesmo!

2. Reutilize seus materiais e formule alternativas sustentáveis para seus projetos

A tríade da sustentabilidade é reduzir, reutilizar e reciclar. Todo artesão criativo sabe que reutilizar materiais, com uma pitada de criatividade, é fácil. O desafio está em reduzir o desperdício e colocar os materiais ou produtos de volta no ciclo de uma maneira sustentável.


Botões e miçangas cuidadosamente organizados (reprodução do site: Tanya Palmer)
Botões e miçangas cuidadosamente organizado

Certas colas, pinturas, tintas e produtos possuem químicos que, quando descartados, podem demorar mais para se decompor.
Optar por materiais orgânicos, colas naturais e se preocupar com a origem e fim dos mesmos vai garantir produtos sustentáveis e um negócio mais consciente. Hoje há demanda por peças feitas com essa preocupação e os clientes estão dispostos a pagar mais caro por isso. Como essa trilha de produção costuma ser toda artesanal, fica mais fácil para o artesão, envolvido do começo ao fim, controlar, modificar e ajustar o processo.

3. Evite o excesso: funcionalidade eficiente faz do seu artesanato mais sustentável

Na hora de produzir uma caixa porta-joias em cartonagem, por exemplo, pensar no desenho da caixa, fazendo-a funcional e sem excessos, esteticamente atrativa e de qualidade, não só garante que você faça uma venda mas que seu produto dure mais. Você terá um cliente feliz, que vai recomendar seu trabalho a outras pessoas. Você também pode fazer a caixa para presentear alguém que você ame.
Evitar o excesso na produção ajuda o meio ambiente e o bolso também. Por isso, planeje o projeto antes de começá-lo. Vale checar tudo antes de cortar os moldes, para reaproveitar tecido ou papel, e assim, evitar o gasto desnecessário de material.


Não seja como o dragão acumulador de lãs: desapega e seja mais criativa! (crédito da foto: Iguana Mouth do site lizardshuffle)
Não seja como o dragão acumulador de lãs: desapega e seja mais criativa!

E o que sobra de tecido ou papel de um trabalho? Você também pode reutilizar! Aplique o que sobrou em outras peças, inventecombinações de cores eestampas diferentes, faça um trabalho em patchwork… enfim, ative a sua criatividade!
O ideal é repensar sempre os processos com os quais trabalhamos, procurar onde pode ainda melhorar e evitar o acúmulo tanto quanto o desperdício, para não virar um dragãozinho acumulador de materiais, como esse aí da foto.
E você? Que processos pode melhorar na sua produção artesanal? Compartilhe com a gente suas três dicas para um 2016 mais sustentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário